culinária e saúde

Iogurte grego

Fresh_greek_yoghurt

A primeira prateleira do meu frigorífico esteve, durante muito tempo, reservada para iogurtes: normais e líquidos, quase sempre sem aroma, daqueles naturais açucarados. Ou então caseiros, com experiência de sabores à mistura e alguns desastres pelo meio. Quando deixei de beber leite, continuei a consumir diariamente iogurtes mas, aos poucos, essa prateleira foi ficando mais despida (ou ocupada com outros alimentos), porque a frequência com que os comia foi diminuindo e também porque lá em casa se juntou mais um que, de uma assentada, deixou leite e iogurtes.

Agora como iogurte uma ou duas vezes por semana (às vezes nem isso), e mudei também a minha preferência para iogurte grego. Este é um tipo de iogurte mais espesso, consistência que resulta da coação do soro do leite, durante o processo de fabrico. Para além de alterar a consistência, a coação resulta também em menos açúcar, menos hidratos de carbono, mais proteína e menos lactose. Em resumo, resulta num alimento muito rico, com benefícios reconhecidos na saúde digestiva e cardiovascular, um bom aliado nas dietas de controlo do peso, saúde dos ossos, e nos casos em que não se tolera bem a lactose.

Não aconselho contudo a que corram para o supermercado e comprem o primeiro grego que encontrarem. É preciso olhar com muito cuidado para o rótulo das diferentes marcas procurando formas disfarçadas de obter a consistência cremosa e espessa típica do iogurte grego, sem ser pelo processo tradicional de coação, pela adição de natas ou outros agentes de espessamento, que é o que acontece com a maioria das marcas. É aliás muito muito difícil encontrar a versão tradicional de iogurte grego e apenas um, que encontrei muito recentemente (obrigada pela dica, saudável como um pêro), corresponde ao que considero saudável. Trata-se de um iogurte grego ligeiro, sem açúcar adicionado, e é da marca do LIDL. (ingredientes: leite e culturas lácteas – lactobacillus bulgaricus, streptococus thermophilus, lactobacillus rhamnosus / por 100g: 59 kcal, 6g proteína, 4,2g hidratos de carbono, 2g gordura).

Para além deste a melhor aposta para mim é, sem dúvida, o iogurte grego caseiro porque assim sabemos exatamente o que tem. A desvantagem é que nem sempre há tempo para tudo e essa é mais uma tarefa. Um dia destes faço o meu próprio iogurte grego, mas isso é matéria para outro post, que este já vai longo :)

crédito da imagem

Newsletter

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply
    Joana
    June 2, 2014 at 11:13 pm

    Qual a dose que devemos comer desse iogurte, como vem em balde é mais dificil saber a quantidade adequada :P. Além disse, esse iogurte não é tão indicado para pessoas em dieta pois nao?

    • Reply
      cristina guimarães
      June 3, 2014 at 1:04 pm

      Olá Joana,
      A dose é a que apetecer :) Por exemplo, para um batido ponho umas 4 colheres de sopa bem cheias. Para comer com granola ou fruta, mais ou menos a mesma quantidade.

      Prefiro alimentos que sejam mais saciantes do que alimentos magros mas que me fazem ficar cheia de fome mais rápido. Por isso, para mim o iogurte grego (ligeiro e sem açúcar) pode fazer parte de uma alimentação saudável. Eu não acredito em dietas em que se passa fome :) Acredito numa alimentação com alimentos de verdade!
      bjs

  • Reply
    Carla
    June 3, 2014 at 4:01 pm

    Sem dúvida, o meu preferido! :) E ganha mesmo quando comparado com grande parte dos iogurtes naturais! Uso, exactamente, a mesma quantidade que tu, 4 colheres de sopa!

    Obrigada pela referência, Cristina! :)

    Beijinho

    • Reply
      cristina guimarães
      June 4, 2014 at 2:19 pm

      Olá Carla :)
      A textura do iogurte grego é mesmo muito boa!
      Beijos

  • Reply
    Joana
    June 3, 2014 at 11:29 pm

    Qual é o iogurte grego? :) Mas normalmente dizem que os gregos têm mais gordura que os outros iogurtes…A principal diferença entre os gregos e magros qual é?

    • Reply
      cristina guimarães
      June 4, 2014 at 2:17 pm

      Olá Joana,

      De facto a grande maioria dos iogurtes gregos que se encontram à venda têm muito mais gordura e açúcar do que os iogurtes normais. O iogurte grego do LIDL não tem adição de natas, nem açúcar adicionado. Tem também um maior teor de proteína. Considero-o um alimento mais rico (mais saciante) e é por isso que o escolho. Não compro iogurtes magros porque a maioria têm edulcorantes, que não como por se tratarem de adoçantes químicos. Tinha ainda como opção o iogurte magro natural, que também me parece uma boa escolha.

  • Reply
    Joana
    June 4, 2014 at 4:49 pm

    Muito Obrigada pela explicação :) Já agora é o iogurte grego ligeiro Milbona? O facto de ser em balde conserva na mesma ou é preciso depois de aberto consumir nos restantes dias?

  • Leave a Reply