culinária e saúde

Dia mundial da luta contra o cancro

Assinala-se hoje, 4 de fevereiro, o Dia Mundial da Luta contra o Cancro. Decidi escrever este post porque por muito que nos pareça que só acontece aos outros, as evidências* indicam que ele vai acabar por nos bater à porta. A nós próprios ou à porta de alguém que nos é muito próximo (o que na verdade me motivou a escrever) e é só nesse momento que percebemos, por muito informados que estejamos. Deixa de ser uma realidade distante para passar a ser algo presente, uma realidade com a qual se tem que lidar.

O dia de hoje serve para desmistificar a doença e trazer a palavra cancro para o vocabulário do dia-a-dia, não na forma de uma sentença irreversível mas como uma realidade que se pode e deve tentar evitar. Serve para dizer às pessoas que têm muito mais poder do que imaginam para prevenir esta doença ou para (ajudar) a combatê-la.

* De acordo com a Liga Portuguesa contra o Cancro “estima-se que o número de casos de cancro e mortes relacionadas a nível mundial venha a duplicar nos próximos 20-40 anos, especialmente nos países em desenvolvimento, os menos equipados para lidar com o impacto social e económico da doença.”

Se o cancro está a aumentar desta forma, está nas nossas mãos procurar por em práticas as estratégias para reduzir o risco. No topo da minha lista está a adoção de um estilo de vida saudável e a realização regular dos rastreios do cancro da mama e do colo do útero. Faço os meus rastreios no centro de saúde da minha área de residência, com a minha médica de família, de forma gratuita. O rastreio e a deteção precoce, pelo menos em alguns tipos de cancro, é o maior aliado da diminuição da mortalidade associada a esta doença.

Estou consciente de que as minhas opções diárias influenciam o risco futuro de cancro e por isso deixo aqui algumas dicas, muitas delas refletindo as minhas escolhas de alimentação:

  • Evito alimentos processados: procuro que os alimentos que compro sejam o mais próximo “da terra” possível;
  • Procuro comer cada vez menos carne: acredito que a forma como os nossos avós se alimentavam faz muito sentido e a carne era quase um luxo reservado para dias especiais (mais uma vez, comiam alimentos pouco ou nada processados);
  • Como legumes e fruta diariamente e compro biológico sempre que possível;
  • Limito o consumo de açúcar refinado: opto por adoçar com fruta (tâmaras, banana, maçã) ou com mel ou xarope de ácer;
  • Sou exigente na escolha dos meus cosméticos: uso poucos produtos e com a maior percentagem de ingredientes naturais possível;
  • Procuro ser fisicamente ativa (embora precise de trabalhar mais a regularidade com que faço exercício!);
  • Evito as situações de stress (embora o ritmo do dia a dia nem sempre o permita);
  • Não fumo (sou orgulhosamente ex-fumadora!).

Todos nós podemos agir contra o cancro nem que seja através da partilha de algumas dicas. Se chegaste até aqui e não ficaste indiferente, então consegui dar um pequeno passo na luta contra o cancro.

Newsletter

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Bárbara Clara Brito
    February 5, 2018 at 12:19 am

    Tenho que melhorar em alguns aspetos principalmente no stress e na quantidade de fruta que como…
    Fumar nunca fumei :-)

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2018/02/panquecas-de-farinha-de-grao.html

    • Reply
      cristina guimarães
      October 22, 2018 at 10:43 pm

      Olá Bárbara :) Todos nós temos aspetos a melhorar. Um beijinho!

    Leave a Reply