Sumos, batidos e outras bebidas

Sumo verde

JO_FRDay_CMYK_Master_Logo_A
Celebra-se hoje o Food Revolution Day – um dia em que se apela à procura de hábitos alimentares saudáveis – uma campanha iniciada por Jamie Oliver. Esta campanha conta com a adesão de 74 países, com mais de 900 embaixadores em todo o mundo, incluindo Portugal. Pretende despertar consciências para a importância que uma alimentação saudável e caseira como forma de promover o nosso bem-estar e felicidade. Saber cozinhar (saber escolher bons alimentos, frescos e não processados) e passar este ensinamento para os mais novos é, segundo o chef Jamie Oliver, a base para uma boa educação alimentar, conhecimento que considera que se tem vindo a perder.

Não encontro à minha volta, nem chegou alguma vez ao meu conhecimento, o contexto que vi retratado em muitos dos programas do chef Jamie, em que se chega ao extremo de haver crianças que nunca comeram uma refeição caseira ou que não conseguem identificar a maior parte dos legumes/vegetais. Considero que em Portugal comemos bem, e numa cantina escolar encontramos uma refeição completa composta por sopa, prato e fruta (o que se afasta bastante da realidade retratada no documentário School Dinners). Não podemos, ainda assim, negar que cada vez mais a chamada fast food se vulgariza e nas escolas as máquinas de venda de guloseimas vão aparecendo com mais facilidade. Por isso há sempre passos que podemos tomar e hábitos que podemos mudar, para melhorar o que comemos, forma como confecionamos os alimentos e, principalmente, o modo como ensinamos as nossas crianças a comer.

Fazer batidos tornou-se num ritual (quase) diário. Mais do que os batidos em si (que são bons, sem dúvida) é o ter-me apaixonado pela refeição, o pequeno-almoço, que sempre foi das mais difíceis para mim. Apesar de ainda ter um ou outro dia em que o apetite me prega partidas e resolve não aparecer, na maior parte deles acordo com vontade de experimentar novas combinações de frutas e agora também de vegetais. Não se trata propriamente de cozinhar, mas sim de um hábito que adquiri e que me permite sair de casa nutrida e que evita uma escolha menos boa no café a caminho do trabalho. Sigam-me no instagram, que é onde partilho as combinações que faço, quase diariamente.

batido

1 banana, 1 maçã com casca e sem caroços, 1 mão cheia de espinafres, 2 ou 3 folhas de coentros (opcional), água de côco ou água ou leite a gosto, 2 ou 3 pedras de gelo / decorar a gosto (sementes de linhaça, côco ralado e côco lascado)

Lembrei-me ainda de partilhar um dos livros que mais gostei de ler acerca destas questões, que se chama French Kids Eat Everything, e que conta como um casal norte-americano, ao mudar para França, acaba por introduzir alterações no modo como alimenta os próprios filhos, através dos ensinamentos que recolheram ao observar a forma como os franceses encaram a alimentação e educam as crianças nesse domínio, para comerem de tudo, sem grandes alaridos, de modo saudável. A cultura da alimentação descrita neste livro é muito daquilo em que acredito em termos de uma educação alimentar saudável e feliz. Recomendo muito a leitura e deixo aqui um vídeo para aguçar a curiosidade.

Happy Food Revolution Day!

Newsletter

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Susana
    May 16, 2014 at 4:08 pm

    Que delicia! Bjs

  • Reply
    Lia
    May 16, 2014 at 6:06 pm

    Este evento do jamie é algo de magnífico e eu também fiz questão de participar.
    Fabuloso este batido!!
    Beijinhos grandes e bom fim de semana,
    Lia.

  • Leave a Reply